3 ideias para abrir um negócio em 2019

O que é preciso para planejar e colocar em prática seu próprio negócio em 2019? Boas inspirações e dicas podem ajudar a encontrar um segmento para investir e colher bons frutos em pouco tempo. Para isso, iremos trazer algumas ideias para abrir um negócio de sucesso.

O processo de inovar está bastante relacionado com iniciativas que causam um impacto significativo. Pode ser algo inteiramente diferente, que ainda não foi feito em qualquer área, ou também que não é comum somente a um setor específico. Ou seja, no segundo caso, costuma-se replicar uma boa prática de um segmento em outro. Em ambos os casos, a inovação pode vir em produtos ou serviços, o importante é estar alinhado com o que o público-alvo está buscando.

ideias para abrir um negócio

Entre as ideias para abrir um negócio em 2019, pode-se pensar em soluções para problemas práticos ou até mesmo na criação de uma necessidade, como nos produtos e serviços que despertam demandas que até então não faziam parte do cotidiano dos consumidores ou que, pelo menos, não eram tão notadas. Avaliar as duas premissas é um ótimo ponto de partida para iniciar um brainstorming de possibilidades.

3 grandes ideias para abrir um negócio em 2019

Duas grandes aliadas das ideias para abrir um negócio são as pesquisas de tendências e o estudo dos segmentos que obtiveram uma boa performance em 2018. Com a combinação dos dados, consegue-se visualizar o que deve se fortalecer no mercado e se tornar ainda mais procurado no ano que se aproxima. É também recomendado estabelecer um mindset de que a inovação não é um custo, mas um investimento. Dessa forma, será possível abrir uma gama maior de opções para estruturar uma proposta de negócio.

Separamos exemplos de segmentos que obtiveram ótimos resultados e que podem gerar insights e ideias para abrir um negócio em 2019. Confira!

1. Produtos naturais

Os produtos livres de componentes de origem ou testes em animais estão cada vez mais ocupando seu espaço nas prateleiras e sendo procurados pelos consumidores. Se forem comprovadamente orgânicos ou atrelados a causas sociais, ganham ainda mais um diferencial. Seguindo este pensando, um case de sucesso é o do empresário Thiago Sanchez, de Santa Catarina, que ao analisar os relatórios do Sistema de Inteligência Setorial (SIS), percebeu o potencial das lojas de cosméticos sustentáveis. Foi assim que surgiu o Armazém da Pele, que hoje atua com cosméticos orgânicos e naturais, faturando mais de 2 milhões por ano.

Há bastante espaço no segmento e com as mídias sociais, o empreendedor tem uma oportunidade para divulgar seus produtos e valores, com investimento menor do que os tradicionais e impactando um público engajado e em expansão no Brasil.

2. Compartilhamento de produtos e bens

Compartilhar produtos, bens, espaços e serviços se tornou algo muito comum na rotina das pessoas e a previsão é de que se torne algo ainda maior. Os exemplos são inúmeros, como os meios de transporte disponibilizados por aplicativos, sites que facilitam o aluguel de casas, quartos ou, até mesmo, um sofá para hóspedes de outras cidades. São casos que comprovam de que a modalidade de negócio está dando certo.

A partir do movimento de compartilhamento é que nasceu a resposta para o desafio dos produtos que estão ociosos, mas que podem proporcionar uma boa renda. Com esse propósito, a Bee2Share se tornou a primeira plataforma mundial a reverter a perda de dinheiro de maquinários que ficam parados nas empresas e indústrias. O objetivo é compartilhar máquinas paradas para empresas que queiram alugá-las.

3. Resolução de problemas financeiros

Em 2018, os produtos e serviços com a proposta de sanar dúvidas e oferecer conhecimento sobre finanças obtiveram uma grande adesão. Há exemplos de aplicativos, livros, corretoras de valores independentes e canais que abordam desafios como controle de gastos, redução no custo de vida e investimento financeiro no Brasil.

O canal Me Poupe!, no Youtube, além de ensinar sobre o assunto, se tornou uma empresa, rendeu livros, TedTalks e cursos. A ideia que originou o negócio é a de usar uma linguagem acessível para fazer com que os brasileiros aprendam finanças e tirem suas contas do vermelho. O que é feito por meio de vídeos curtos, histórias de problemas e de sucessos, ensinamentos sobre como, onde e quanto investir para conquistar a independência financeira.

Por que ficar de olho no que aconteceu em 2018?

Se um modelo ou ideia de negócio deu muito certo, consegue-se analisar o comportamento do consumidor, quais são os problemas para os quais as pessoas estão buscando soluções e quais segmentos estão apresentando oportunidades. O ano de 2019 tem muito a oferecer para projetos inovadores e você pode contar com pesquisas, informações especializadas e parceiros, como o Sebrae/SC.

Está preparado para começar 2019 com novas ideias para abrir um negócio? É a hora de montar seu plano de negócios e colocá-lo em prática!

CTA_caminho_empreendedor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *