5 virtudes de um verdadeiro líder

20180112_SIS_SEBRAE_Blog

As competências de liderança, extremamente necessárias aos profissionais da área de gestão, são, muitas vezes, virtudes inatas, mas que podem ser desenvolvidas ao longo da carreira.

De acordo com Tomás Jafet, gerente executivo da Michael Page, 60% da capacidade de liderança vêm da natureza da pessoa e outros 40% podem ser aprimorados.

Jafet ainda afirma que o jeito de liderar varia de acordo com a cultura da empresa, porém a chamada liderança sênior, que é o passaporte para qualquer função do alto escalão de uma empresa, passa essencialmente por cinco competências.

  1. Visão sistêmica

Competência de enxergar todos os departamentos da empresa, em sua essência e significado. Quem tem essa visão sistêmica focaliza tanto a estrutura e os processos da empresa quanto nas pessoas envolvidas e nos resultados.

  1. Influência

O poder de influência é fundamental para convencer as pessoas a fazer o que é necessário. Trata-se de um talento que engloba poder interno e percepção das oportunidades externas para inspirar decisões e atitudes nos outros.

  1. Tomar decisões difíceis

Líderes precisam tomar decisões difíceis e que impactam nas pessoas, nos projetos e no futuro da empresa. São diversas as situações complicadas que se pode enfrentar, desde demissões de funcionários a definições orçamentárias.

“O bom senso deve prevalecer e, ao seu lado, deve estar o compromisso incansável de respaldar cada decisão difícil em números, perspectivas, oportunidades e eventuais riscos. A liderança sênior é a morada da razão, seja em momentos de forte carga emocional ou de aparente tranquilidade de cenário”, diz Jafet.

  1. Finanças

Mesmo que não seja da área de finanças, um executivo deve entender sobre orçamento, investimentos e planejamento estratégico se pretende administrar e liderar uma empresa.

É necessário que o gestor saiba como anda a saúde financeira da empresa e ainda interpretar para além dos número para se chegar ao impacto real de investimentos e despesas.

  1. Senso de inovação

Fomentar a cultura de mudança demanda senso de inovação, habilidade para entender onde é possível fazer diferente, conduzir os recursos para isso e mobilizar as pessoas para esse objetivo funcionar.

“Steve Jobs mostrou ao mundo que um presidente de empresa, por exemplo, pode realmente cobrar ou contribuir com o departamento de produtos/engenharia/novos negócios se entender o funcionamento técnico de seu negócio”, diz Jafet.

O SIS/Sebrae possui conteúdos para você compreender melhor o seu mercado de atuação. Faça seu cadastro agora, é gratuito!

Fonte: Exame