6 tendências que devem bombar em 2018 no varejo de moda

20171204_Blog

O varejo de moda é um dos setores que mais se renova e, portanto, exige que os empreendedores estejam sempre atualizados com o mercado. Se você procura manter sua empresa competitiva neste mercado, é importante acompanhar as tendências e a aplicação nos produtos e serviços.

Confira algumas dicas de tendências no varejo de moda para 2018 e comece a planejar já!

Fabricação sob demanda

A fabricação sob demanda permite aos varejistas produzir roupas logo após a compra online ou presencial do modelo, dessa forma, a produção que respeitava uma periodicidade programada e rígida pode ser feita quando solicitada e em menor tempo.

Exclusividade: Na fabricação sob demanda, o cliente influencia o design do produto na escolha do tecido, cores, botões, estampas, aviamentos, bordados etc. É importante que a marca decida qual será o nível de envolvimento e estabeleça um processo no momento da escolha, a fim de possibilitar o planejamento de investimentos e custos no negócio.

Pagamentos invisíveis

Tornar o pagamento invisível permite retirar a preocupação e o estresse, que muitas vezes são gerados nesta etapa, além de permitir ao cliente focar sua experiência em pontos fortes da marca, como design, ambiente, atendimento etc.

Dica: Para compreender a ideia do pagamento invisível, imagine uma pessoa ao entrar em uma loja física de roupas, o cliente seleciona e prova as roupas que têm interesse e sai da loja com as peças escolhidas. Todo esse processo ocorre sem a interação com vendedores ou caixas, apenas utilizando um aplicativo no smartphone, que identifica o código das roupas, os valores e a forma de pagamento (débito, crédito, parcelado) a ser realizada.

Varejo Híbrido

O conceito do varejo híbrido é oferecer em um mesmo local ou ambiente produtos de segmentos diferentes, mas que atendam ao mesmo público-alvo. Esse formato de negócio permite aumentar o ticket médio do cliente e possibilitar que ele encontre em um único lugar variados produtos, como camisas, relógios, tênis etc.

Collabs: O termo collabs significa a união de marcas em uma única loja, dessa forma, uma loja que vende vestidos pode se unir no mesmo espaço com uma marca que vende calçados, permitindo que a colaboração entre as empresas contribua para que ambas faturem, sem a necessidade de se especializarem em itens que não dominam.

Canais alinhados

A expressão “canais alinhados” significa que as marcas devem estar em ambientes offline e online e atender o consumidor que utiliza ambos os canais. Vamos imaginar que um cliente entrou em uma loja física e provou uma peça, mas prefere realizar a compra na loja online da marca, é para esse perfil que você deve estar preparado para atender.

No friction

É caracterizada pela venda sem vendedores ou qualquer tipo de intermediário. Dessa forma, o cliente possui acesso direto aos produtos no local, para construir uma jornada de compra sem ruídos.

Vídeos

De acordo com uma pesquisa da Cisco sobre previsões, em 2020, 82% do tráfego da internet será provocado por vídeos, sendo que atualmente 86% dos brasileiros que estão online assistem a vídeos. Se esses não são motivos suficientes para o empresário investir em vídeos e prestar atenção nas próximas tendências desse formato, é importante entender que 80% das pessoas lembram dos vídeos que assistiram nos últimos 30 dias, segundo a pesquisa da Video Brewery. E dentro desse grupo, 46% dos consumidores que viram os anúncios foram influenciados a buscar mais informações sobre o produto ou sobre a empresa e até mesmo a efetuar a compra.

Quer entender cada tendência mais a fundo? Baixe, grátis, o relatório de inteligência do SIS e comece a planejar as melhores estratégias para aplicar em 2018 na sua empresa!

Deixe seu comentário