Amortização: o que é e quais as diferenças?

Para as micro e pequenas empresas é fundamental conseguir capital de giro para abrir e manter seu negócio no mercado. Para isso, em muitos casos o empreendedor acaba recorrendo a financiamentos e empréstimos de bancos e instituições financeiras. Neste caso, é importante saber as diferentes formas de amortização para escolher qual a mais adequada e vantajosa para cada situação.

amortização

O conceito de amortização diz respeito à redução do valor total de uma dívida através de pagamentos periódicos, caracterizando sua quitação. O valor das parcelas pode ser variado ou fixo, dependendo do modelo de amortização escolhida pelo mutuário — pessoa que pegou dinheiro emprestado da instituição financeira. Neste artigo iremos explicar os diferentes tipos de amortização.

SAC ou Price? Qual métodos de amortização escolher?

O método SAC se refere ao Sistema de Amortização Constante. Na prática, isso quer dizer que sua dívida será dividida em partes iguais, ou seja, as parcelas terão um valor constante, que caracteriza as amortizações, acrescidas de taxas e encargos acertados pelo contrato. No SAC, os juros são calculados referente ao valor do saldo devedor, e por isso o valor a ser pago é reduzido ao longo dos meses, pois o valor da amortização é descontado do restante da dívida — montante no qual o juros é baseado.

Considerando que os juros são calculados sobre o valor que o mutuário deve, o valor das parcelas será mais alto no início do financiamento e irá diminuindo conforme as prestações vão sendo quitadas. Neste caso, as parcelas vão ficando mais baratas com o decorrer do tempo, porque as taxas vão decrescendo.

O SAC é o sistema de amortização de dívida mais comum nos financiamentos de longo prazo, e por isso muito utilizado no sistema de financiamento imobiliário. Para os empreendedores, ele pode ser utilizado para financiar maquinários de alto valor, por exemplo.

Veja a seguir como calcular o valor das parcelas pelo Sistema de Amortização Constante.

Para calcular o valor de uma parcela pelo método SAC basta dividir o valor total da dívida pelo número de meses da dívida para obter o valor das amortizações e somar os juros. Na prática, ela funciona assim:

Em um empréstimo de R$ 100 mil, por exemplo, financiado em 60 meses com juros de 0,68%, considere o valor da parcelas da seguinte forma:

  • Valor da amortização: R$ 100 mil ÷ 60 meses = R$ 1.666,67 (valor constante da amortização)
  • Valor da primeira parcela: R$ 1.666,67 de amortização + R$ 680 de juros (R$ 100 mil x 0,68%) = R$ 2346,66
  • Valor da segunda parcela: R$ 1.666,67 de amortização + R$ 668,66 de juros (R$ 100 mil – R$1666,67 x 0,68%) = R$ 2.335,33
  • Valor da terceira parcela: R$ 1.666,67 de amortização + R$ 657,33 de juros (R$ 100 mil – (1666,67 x 2 parcelas já pagas) x 0,68% = R$ 2.324,00

Neste caso, no final dos 60 meses, o valor total de juros pago seria de R$ 20.739,99. Você  pode simular o financiamento com diferentes métodos de amortização com esta ferramenta.

Método Price

Ao contrário do SAC, as prestações da dívida calculada pelo método Price não muda com o decorrer do tempo, fazendo com que as parcelas tenham o mesmo valor durante toda  a duração do financiamento. Esse sistema de amortização é comumente utilizado para compra de carros ou eletrodomésticos.

Pelo método Price, os encargos são calculados antecipadamente e distribuídos através das parcelas. A soma da amortização com os encargos deve resultar no valor da parcela, que é  invariável. Por este motivo, em determinados meses haverá uma redução maior do valor principal da dívida do que em outros, já que a amortização também é variável nesta modalidade.

Neste sistema, a taxa de juros vai diminuindo ao longo do tempo à medida que as amortizações vão aumentando, tornando o valor da dívida sempre igual.

Além desses dois modelos mais comuns, existem outros dois modelos de amortização:  

  • Sistema Americano: neste sistema não há amortizações mensais, devendo o mutuário pagar somente o valor dos juros das parcelas. Ao final do período firmado em contrato, é feito o pagamento do valor do empréstimo.
  • Pagamento Único: ao final de um período estipulado, será realizado um único pagamento, correspondendo à amortização total da dívida inicial somada aos juros.

Mas lembre-se: antes de fechar um contrato de financiamento, porém, é importante fazer um planejamento financeiro. Isso irá ajudar na organização orçamentária para o pagamento das dívidas. Além disso, você poderá se preparar para os cenários desfavoráveis e evitar o endividamento excessivo.

Ficou com alguma dúvida? Compartilhe com a gente nos comentários. Em nosso Blog você encontra uma série de conteúdos sobre empreendedorismo e finanças para impulsionar o seu negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *