Como conseguir dinheiro para abrir uma empresa?

Você teve uma ideia de negócio, definiu os produtos e serviços que pretende oferecer, estabeleceu o público-alvo e até a forma jurídica do empreendimento, mas ainda falta uma parte essencial para criar de fato a sua empresa: o capital. Todos os tipos de negócios, inclusive e-commerce, precisam de recursos desde o registro até a compra de produtos, locação de salas comerciais, equipamentos, decoração, e despesas variadas. Mas, afinal, onde e como conseguir dinheiro para abrir uma empresa?

shutterstock_157784930Em primeiro lugar, o Sebrae não oferece nenhum tipo de crédito a empreendedores. No entanto, instituições financeiras como o Banco do Brasil, Caixa, Bradesco, cooperativas de crédito, entre outras organizações fornecem empréstimos aos futuros empresários. Os recursos podem ser obtidos mediante a apresentação de documentos da empresa e do empresário, bem como um plano de negócio estruturado de acordo com o tipo de empréstimo ou financiamento desejado. No artigo Empréstimo para MEI: conheça vantagens e riscos apresentamos alguns cuidados que os microempreendedores individuais devem tomar, para obter o crédito e não contrair dívidas financeiras.

Além do planejamento estratégico e organização das finanças, é fundamental realizar estudos de mercado e mensurar os possíveis resultados do empreendimento. Tais definições são importantes tanto para obter o crédito na instituição financeira, quanto para ter segurança de que os recursos não serão perdidos.  

Confira no post de hoje como e onde conseguir capital para abrir uma empresa, além de saber outros cuidados a tomar antes obter crédito para o seu negócio.

Linhas de crédito para abrir uma empresa

A Cartilha de linhas de crédito para MPEs e MEI do Sebrae Nacional apresenta várias instituições financeiras do país, com investimentos fixos, capital de giro e misto para empreendedores. Essas modalidades se referem à forma de pagamento, às taxas de juros e ao objetivo do crédito. Em Santa Catarina, as principais instituições e programas para obtenção de crédito para empresas são:

BNDES – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social apoia empreendedores, tanto para a abertura de um negócio quanto para modernização de serviços e expansão de uma empresa. A instituição realiza a concessão de recursos não reembolsáveis a projetos sociais, culturais e tecnológicos. Também fornece produtos, programas e fundos com diferentes modalidades e características. No site do BNDES é possível acessar o Canal do Desenvolver MPME, uma ferramenta que facilita o acesso da MPE as linhas de financiamento do BNDES por meio de bancos e cooperativas credenciadas.

Badesc – A Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina S.A é uma das Instituições ligadas ao BNDES, que oferece diferentes linhas de crédito para empresas privadas, com ou sem formalização. Além do apoio a criação de projetos e ampliação de negócios de diferentes segmentos, o BNDES atua como agente financeiro do Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Empresarial de Santa Catarina (Fadesc) e do Programa Operacional do Fundo de Desenvolvimento dos Municípios (Badesc Cidades).

Uma das funções do Badesc é o financiamento de pesquisas para realização de obras e serviços públicos, bem como para a implantação de complexos industriais. A agência também é responsável pela criação de fundos específicos para atender micros e pequenos negócios catarinenses.

Entre os diferentes tipos financiamento e de crédito, os empreendedores e empresários podem contar com as seguintes modalidades:

Operações diretas: as negociações ocorrem sem intermediários, entre o cliente e o Badesc. Em geral, são financiamentos realizados com recursos financeiros da própria agência.  

Operações via recursos de repasse: nesse caso o Badesc atua como agente repassador de recursos financeiros de uma instituição para o cliente. Para obter o crédito, o empreendedor deve seguir as obrigatoriedades dos Agentes Financeiros conveniados com a agência. Ou seja, além de seguir as normas do Badesc, também devem ser observados os regimentos e processos da organização credora.

Operações via OSCIP’S: modalidade em que o Badesc repassa crédito às instituições de microcrédito – Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIPs’s). Trata-se da linha de crédito ideal para empreendedores com baixa renda. Os valores dos empréstimos variam de R$200 a R$10 mil. Além de investimentos fixos, de capital de giro e misto, também pode ser solicitado crédito para compras de equipamentos e implantação de negócios.

 

Business team working on a new business plan with modern digital computer

Garantias de Crédito

Um dos principais desafios para abrir uma empresa, é a obtenção de recursos com organizações financeiras, que em geral solicitam alguma garantia de crédito. Trata-se de uma segurança para a instituição que pode considerar bens, imóveis, promissórias ou ainda aval dos sócios como uma garantia para o pagamento. No entanto, existem instituições de caráter privado que tem como atividade a concessão das garantias exigidas aos empreendedores que buscam obter crédito.

Em Santa Catarina, duas instituições atuam junto aos agentes financeiros no fornecimento dessas garantias:

–  GaranteOeste: realiza atendimentos na região Oeste, Extremo Oeste e Meio Oeste Catarinense, analisando projetos e pedidos de financiamento de associados. Em caso de inadimplência ou falência, a instituição assume o pagamento. O Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil é o único agente financeiro que recebe as cartas de garantias de crédito.
Contato: (49) 3025-4407

SC Garantias: também chamada de Associação de Garantias de Crédito, a SC Garantias concede cartas de aval após avaliar se a empresa está apta a realizar o empréstimo solicitado. Tem atuação em todos os municípios de Santa Catarina, por meio das Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público de Crédito (Banco da Família, Blusol, Banco do Empreendedor, Extracredi, Credisol, Crecerto, Casa do Microcrédito, Bancri, Juriti, Credioeste, Crediamai, Acredite, Planorte, Polocred).
Contato: (48) 3039-4840

Investidores-anjo

Essa é outra opção para quem deseja abrir uma empresa. Negócios de tecnologia têm atraído cada vez mais investidores que apostam no crescimento e sucesso da empresa. No entanto, para obter esse tipo investimento é necessário consolidar bem a ideia e o plano de negócio, e apresentar algum diferencial para o investidor.

Em julho de 2017, a Lei Complementar 155/2016 regulamentou a ação dos investidores-anjos, que podem investir entre R$ 50 mil a R$ 600 mil em microempresas e empresas de pequeno porte. Pela Instrução Normativa, os anjos não são considerados sócios e obtém o retorno financeiro de até 50% dos lucros da sociedade, por um período de cinco anos.

Mas onde encontrar um desses anjos? Para isso você pode submeter a sua ideia de negócio no site Anjos do Brasil. No entanto, vale destacar que apenas uma ideia inovadora não é suficiente para obter o apoio financeiro. Para o investidor se interessar por uma iniciativa é preciso ter um plano de negócio, uma boa apresentação, previsão de lucros, estudo de mercado e se possível um protótipo do produto.

Algumas ferramentas do nosso Portal de Atendimento podem o auxiliar na capacitação e na estruturação da sua ideia. É o caso da ferramenta Plano de Negócio, que indica os passos para consolidação e materialização da sua empresa. Você também pode solicitar consultorias gratuitamente e obter informações específicas para o seu negócio. Além disso indicamos os cursos gratuitos e online:

Branding para microempresa: saiba quem é você e mostre seu poder

Sócios

Outra alternativa para obter capital antes de abrir uma empresa é conseguir um sócio que tenha recursos para investir no seu negócio. No artigo Direitos, deveres e responsabilidades do sócio em uma empresa LTDA, apresentamos alguns pontos importantes a serem avaliados no momento de estabelecer uma sociedade com um investidor. Mais do que aplicar recursos em uma ideia, é necessário que o sócio esteja ciente de suas obrigações e responsabilidades com a empresa desde a assinatura do contrato social.

Além do dever de lealdade dos sócios, que pressupõe o compromisso com a empresa, evitando qualquer prática que possa prejudicar a organização, os membros da sociedade devem prezar pela transparência e colaboração. Mesmo que o sócio entre apenas com os recursos, ele tem direito a deliberar sobre as ações sociais da empresa por meio de assembleia. Cabe destacar que o contrato social deve ser realizado por um profissional que auxilie na definição de todos os pontos da sociedade, inclusive condições de expulsão e transparência financeira.

Lembre-se: sociedade é como um casamento. Por isso avalie bem se esta é realmente a melhor forma para obter os recursos necessários para abrir o seu negócio.

Close-up of hand inserting coin in piggy bank

 

Financiamento coletivo

Uma das modalidades para obtenção de recursos que mais ganhou destaque nos últimos anos foi o financiamento coletivo realizado por sites e organizações mundiais. A famosa “vaquinha” tem como contra-partida a retribuição em brindes e bônus aos doadores de recursos, que podem se interessar pelos serviços ou acreditar na sua ideia. No Brasil, há plataformas próprias de financiamento coletivo online, onde basta cadastrar a sua ideia e estipular um valor a ser arrecadado por determinado período de tempo.

Para obter sucesso é indicado investir no texto de apresentação da ideia, lançar videos, pensar em boas recompensas e usar as redes sociais para divulgar o projeto. Iniciativas culturais, projetos de inovação, aplicativos e serviços diversos podem ser registrados.

E aí? Já decidiu como vai conseguir dinheiro para abrir uma empresa? Se você ficou com alguma dúvida comente abaixo. Indicamos ainda a leitura do eBook Planejamento Estratégico: Da Teoria à Prática, que o ajudará a estabelecer metas e objetivos para o seu negócio.

Texto publicado originalmente em 4 de dezembro de 2012.

Imagens Projetado pelo Freepik

super_ebook_MEI

Deixe seu comentário