Empresas Familiares: como fazer dar certo

As empresas familiares são realidade na vida de muitos empreendedores brasileiros. Seja aquela fábrica de peças artesanais que passa de geração para geração ou uma ideia que surge durante o almoço em família e que é tirada do papel. A verdade é que essas empresas tem todo o potencial de se tornarem lucrativas, mas precisam ser geridas de maneira responsável e correta.

empresas familiares

Algumas pessoas afirmam que sociedade é igual a casamento e, muitas vezes, é o casamento que acaba virando sociedade. Irmãos viram sócios, mãe e filho abrem um negócio próprio e até mesmo os noivos antes de se casarem já estão administrando sua própria empresa. As empresas familiares representam a maioria das companhias brasileiras e como qualquer outra sociedade, têm de lidar com seus aspectos positivos e negativos. Continue acompanhando esse artigo para descobrir quais procedimentos que você precisa colocar em prática para fazer sua empresa familiar dar certo.

Uma pesquisa divulgada em 2016 pela PwC mostra que no Brasil uma grande dificuldade enfrentada pelas empresas familiares é registrar crescimento diante da situação econômica do país, desfavorável desde 2014. Segundo os dados, o percentual das empresas que registraram crescimento nos últimos 12 meses caiu de 79% para 42% naquele ano, enquanto a média mundial se manteve estável em 64%.

Além disso, para quem pensa em montar uma empresa e ter familiares como sócios, o grande desafio é manter a sustentabilidade e planejar a sucessão. Apesar da longevidade extraordinária de algumas empresas familiares, a vida média no segmento é de três gerações. Conforme estatísticas, de cada 100 empresas familiares fundadas no Brasil e no mundo, apenas 30 sobrevivem à segunda geração, 15 à terceira e quatro à quarta. A questão da sucessão tem uma posição ambígua, pois pode dar às empresas uma nova perspectiva de atuação e ideias de inovação. Mas se não houver os cuidados, a produtividade pode decair e seu negócio acabar engolido pela concorrência.

Como organizar uma empresa familiar?

Para evitar que a segunda situação aconteça é preciso ter em mente que devem trabalhar na empresa as pessoas que provem ter mérito para ocupar os cargos, comprovado por resultados e avaliação do desempenho. É comum que os donos pensem e ajam como se a empresa fosse a extensão de sua casa ou família e muitas vezes mantém parentes e cargos sem que haja resultados satisfatórios. Existe uma razão bem objetiva que mostra que esse é um erro. Uma empresa representa um bem público. É dali que muitas vezes centenas de pessoas tiram seu sustento. Ser empresário implica uma tremenda responsabilidade social.

Separe o relacionamento pessoal do profissional

Um dos maiores problemas relacionados à gestão de uma empresa familiar é, justamente, a própria família. Em muitas situações, não há uma clara distinção entre os relacionamentos pessoais e profissionais dentro da companhia, fazendo com que os conflitos familiares se perpetuam dentro da rotina da organização. É preciso que as brigas e outros problemas pessoais sejam resolvidos em casa, reservando o espaço de trabalho apenas para questões de cunho profissional. Isso influencia também na credibilidade da empresa, uma vez que os outros funcionários e até mesmo os clientes podem se incomodar com alguma discussão ou clima desagradável durante o expediente.

Não misture as contas pessoais com as da empresa

Tão importante quanto no relacionamento, o planejamento e organização financeira também deve ser devidamente dividido entre particular e empresarial. Criar uma conta bancária e um cartão de crédito especificamente para a empresa é o primeiro passo na direção de um controle financeiro saudável dentro de uma empresa familiar. As contas jurídicas não devem ser quitadas com o seu dinheiro pessoal, bem como suas contas de casa não podem ser pagas com o dinheiro do seu caixa.

Escale a equipe de acordo com as competências

É fundamental que os cargos sejam oferecidos aos membros familiares de acordo com suas habilidades, aptidões e competências. Empregar um parente em uma função na qual não o compete pode comprometer a produtividade da empresa ou a sustentabilidade, quando se trata de cargos administrativos. Além disso, é importante que os salários pagos ao funcionários que pertencem à família sejam compatíveis com o sua posição e jornada de trabalho, evitando que os demais colaboradores não se sintam injustiçados e mantendo a estabilidade financeira da organização.

Pense sempre no longo prazo

Um planejamento financeiro à longo prazo é a melhor maneira de organizar suas estratégias logísticas e comerciais. Sabendo onde você quer chegar e em quanto tempo pretende fazer isso permite que você busque alternativas para os problemas atuais da empresa, seja na questão financeira ou no modelo de negócio que você deseja criar. Um Plano de Negócio é a melhor maneira de colocar suas ideias no papel e se preparar para o futuro.

Conclusão

Criar regras bem definidas desde o início torna-se indispensável. Outro ponto é estimular o diálogo e a sinceridade entre as partes.Para que o negócio vá para frente é preciso que haja sempre um diálogo aberto entre os sócios e familiares. As ambições e visão do negócio também precisam ser semelhantes para que haja a sintonia direcione o crescimento da empresa. Quanto a longevidade, o ideal é tornar a empresa mais competitiva e não deixar com que vontades pessoais interfiram de maneira negativa no crescimento da empresa.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe conosco nos comentários suas perguntas e sugestões. Acesse nossa Consultoria online e gratuita para saber mais ou com nossos especialistas. Em nosso Blog você encontra uma série de artigos sobre empreendedorismo, inovação e sobre o ecossistema de tecnologia de Santa Catarina.

O Portal de Atendimento oferece materiais e cursos para você aprender cada vez mais e alavancar o seu negócio. Não deixe de conferir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *