Empréstimo para MEI: conheça as vantagens e os riscos

Ao se tornar Microempreendedor Individual você pode ter acesso a uma série de benefícios que na informalidade dificilmente conseguiria. Além de descontos com fornecedores, você pode obter financiamentos com condições diferenciadas por ser Pessoa Jurídica e ter CNPJ. Contribui com esse processo, o fato do número de MEIs ter dobrado entre 2013 e 2016, chegando a marca de 6,64 milhões, de acordo com o Portal do Empreendedor. De olho nesse crescimento, os bancos tem oferecido diferentes planos de empréstimo para MEI. Com várias opções no mercado, o desafio do MEI é decifrar vantagens e riscos, e ainda decidir a hora certa de buscar crédito.

empréstimo para MEI

Apesar das diferentes ofertas, o caminho para obter o empréstimo para MEI começa antes de estar na frente do gerente. A concessão do empréstimo não é automática. Não é “pediu-levou”. Existem procedimentos e condições em cada instituição financeira.

O ponto de partida está na análise de sua rotina financeira. Se estiver organizada, com o controle das contas feito corretamente, os benefícios de um empréstimo tendem a ser maiores. Mas se as finanças estiverem “bagunçadas”, melhor olhar não apenas as vantagens, mas principalmente os riscos de recorrer ao banco.

Uma das primeiras providências do MEI é ter certeza se realmente precisa de um empréstimo. Muitos vezes, por falta de um controle financeiro, o MEI assume dívidas sem necessidade. Ou seja, pega dinheiro para cobrir furos no fluxo de caixa. É um dos riscos de contrair uma dívida que poderá virar um poço sem fundo diante da dificuldade de liquidá-la. Por isso, o objetivo de um empréstimo para MEI deve ser fomentar ações que gerem receita para empresa.

Está a grande vantagem do empréstimo. Você não pega um empréstimo para ter capital de giro, que é imprescindível, mas que por si só não rentabiliza. Pega para comprar matéria-prima, investir em maquinário, renovar o layout da loja, reforçar o estoque ou abrir um e-commerce. De ações como essas, o dinheiro tomado emprestado se torna um investimento que poderá influenciar no faturamento do negócio. Diferente do empréstimo para garantir sua retirada ou o pagamento de tributos. Ainda assim, é importante observar que o retorno do investimento deve ser calculado para ser usado no pagamento do empréstimo. A pergunta é: o fruto deste investimento será suficiente para pagar as parcelas do dinheiro captado?

Organização é chave do empréstimo para MEI

Outra providência importante no empréstimo para MEI é a organização das contas bancárias. Evite usar sua conta Pessoa Física (PF) para o movimento da empresa. Este é um dos erros mais comuns na gestão financeira do MEI. O recomendado é ter uma conta Pessoa Jurídica (PJ) para melhorar o controle financeiro.

Além de organizar as entradas e saídas, essa medida também será importante no relacionamento com a instituição financeira. Conta pontos na concessão do empréstimo sempre que você contrata serviços do banco. Uma conta PJ é um deles. E ter as contas pessoal e jurídica também reforça sua imagem de gestor que trabalha de forma organizada. Se precisar rever sua administração financeira, uma dica é recorrer a aplicativos que podem ajudar no dia a dia do negócio.

O passo seguinte rumo ao empréstimo para MEI é fazer um projeto detalhando o destino do dinheiro. É importante você dizer o quanto pretende receber, e o que irá fazer com o recurso. E mais: qual a projeção de crescimento do seu negócio a partir deste investimento? Qual o impacto que o dinheiro terá no seu negócio em termos de faturamento? O banco gostará de saber essas informações  para prospectar os pacotes de serviços que poderá oferecer a você.

Lembre-se: os bancos – públicos e privados – se interessam pelo MEI. Tem linhas de crédito específicas. Por isso, quanto mais subsídios você oferecer no pedido, maiores as chances de conseguir o valor e uma boa negociação. Não esqueça de conferir também quais documentos serão necessários para a concessão do empréstimo.

Os riscos de não ter um plano para o empréstimo

Sem um planejamento detalhado, mesmo que não seja um item obrigatório, você corre dois riscos. O primeiro é não conseguir o empréstimo. Como dar dinheiro para quem não tem um propósito? E o segundo é aceitar o que for oferecido, quase que no desespero, sem analisar as condições do negócio. O prazo para pagamento é o ideal? As parcelas cabem no bolso? E os juros, são os menores oferecidos no mercado?

Outro risco é se deixar levar pela oferta de empréstimo para MEI e você contrair dívidas além do que pode dar conta. Resista a tentação de assumir múltiplos empréstimos. Seja assertivo e moderado para que o impacto do empréstimo seja positivo, muito mais vantajoso do que arriscado.

Quer melhorar a gestão financeira da sua empresa para buscar um empréstimo? Confira os cursos oferecidos pelo Sebrae/SC.

 

Deixe seu comentário