Ergonomia como diferencial para móveis corporativos

shutterstock_361892393

A ergonomia no ambiente de trabalho garante qualidade de vida ao funcionário, com praticidade e conforto, além de ser um diferencial a ser explorado pelos empreendedores do setor moveleiro.

O desenvolvimento de qualquer produto deve levar em conta o usuário, suas necessidades e os possíveis usos que ele atribuir ao objeto. Dessa forma, o processo de desenvolvimento de um móvel deve levar em consideração pontos como dimensões, funções, cores, texturas e outros que, juntos, proporcionem conforto, praticidade e segurança ao usuário. É nesse ponto que entra a ergonomia, como um meio para proporcionar esses atributos ao consumidor.

A ergonomia estuda o homem em qualquer atividade física ou mental em seu meio de convivência. Dentro da ergonomia são consideradas outras ciências, como anatomia, fisiologia, biomecânica, antropologia, engenharia, desenho industrial, entre outras.

Características de um produto bem projetado

Um produto considerado ergonômico deve possuir as seguintes características:

  • Utilidade
  • Eficiência
  • Facilidade de uso
  • Segurança
  • Durabilidade
  • Aspecto agradável
  • Custo acessível

Mercado moveleiro no Brasil

  • Existem 22,5 mil empresas e 39,7% delas estão localizadas na Região Sul.
  • Santa Catarina é o quinto Estado em concentração de empresas – possui 2.798.
  • O Estado também se destaca na atividade exportadora, sendo responsável por 33,9% do total de móveis exportados pelo país.

A indústria de móveis está dividida da seguinte forma (2015):

  • 4% Importação
  • 96,3% Mercado interno
  • 5,5% Exportações

O mercado interno está dividido em:

  • 67,7% Residenciais
  • 13,7% Escritórios
  • 18,6% Outros

Quer saber mais detalhes sobre a ergonomia no setor movelerio? Baixe o Relatório de Inteligência do SIS Sebrae aqui!

Deixe seu comentário