Inovação em empresas: processos para começar (e testar)

Empresas não deixam de inovar por falta de ideias. O grande problema que a maioria das organizações enfrenta é a falta de um processo bem definido para gerar inovação. Quando há um caminho definido para seguir, as ideias que podem gerar resultados em forma de lucro, redução de custos das operações e aumento de valor para os clientes são postas em prática. Lembre-se que uma ideia é somente a primeira etapa do processo de inovação em empresas.

Inovação em empresas: processos para começar (e testar)

Como funciona a inovação em empresas

Inovar demanda competências tecnológicas, mercadológicas e gerenciais. Por isso, sabendo dos desafios de implementar políticas de inovação em empresas, separamos algumas dicas que irão ajudar a começar o processo em sua empresa:

Tomar consciência

Todos os colaboradores devem entender a importância da inovação em empresas em um cenário cada dia mais competitivo. Além disso, só compreendendo verdadeiramente o que é inovação e qual é a dinâmica dela que você poderá planejar uma estratégia que esteja alinhada aos objetivos de negócio da organização.

Identificar e entender oportunidades ou problemas

É preciso identificar quais problemas podem ser resolvidos com inovações e o que pode ser criado para antecipar a empresa no mercado. Nesta fase, você pode fazer anotações sobre o que observar (como fazem os antropólogos), tirar fotografias de situações que ilustrem o problema ou oportunidade, conversar com especialistas, com os usuários do produto ou serviço, etc. É a partir da observação de um problema ou oportunidade que você gera inovação.

Trocar ideias

Depois de ter se aprofundado no problema ou oportunidade, é chegada a hora da geração de ideias. Para que essa etapa seja produtiva, sugerimos algumas técnicas, tais como brainstorming, associação de ideias e design thinking. O ideal é encontrar a ferramenta que sua equipe mais se sinta à vontade, seja utilizando o modelo canvas ou o mapa da empatia — o mais importante é gerar o maior número possível de ideias. A etapa de troca de ideias não devem ter filtros ou restrições. Vale tudo.

Selecionar ideias

Depois de alguns dias, assim que as ideias “descansarem” é preciso retomar o processo. O objetivo dessa etapa é reduzir o número entre 10% e 20%. Nem que para isso sua equipe precise emendar, recortar ou agrupar ideias diferentes. Assim que forem ajustadas, é preciso transformá-las em uma proposta de projeto. Uma dica aqui é motivar os colaboradores a “venderem” suas ideias, já que isso vai aumentar o engajamento e sentimento de pertencimento à organização. Lembre-se que quando tudo virar um projeto, são eles que o ajudarão a executá-lo.

Desenvolver e prototipar ideias

Depois que forem escolhidas as melhores ideias, os conceitos de inovação devem ser criados utilizando critérios e métodos de gestão de projetos inovação em empresasda empresa. Agora, a fase criativa terminou e o objetivo é transformar ideais em um protótipo que possa ser testado e aplicado. Se as ideias não forem desenvolvidas, o futuro dos projetos de inovação na empresa pode ficar comprometido. Imagine todo esse trabalho e empenho dos colaboradores para, no final, verem que a ideia foi jogada no lixo sem ao menos ser testada. Desolador, não é mesmo? Por isso, recomendamos que o processo de inovação esteja bem documentado e seja levado a sério e até o fim.

Entender completamente o conceito de inovação em empresas e praticá-lo dentro da organização leva tempo, demanda dedicação e investimentos. No entanto, empresas que alcançam a verdadeira inovação não se arrependem de ter tomado esse caminho.