Loja de ração: como investir no ramo

Loja de ração e os pet shops fazem parte de um nicho de mercado que têm se destacado mesmo com um cenário econômico desfavorável. O motivo? O Brasil é considerado o 4º país no mundo inteiro com o maior número de animais de estimação, de acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (ABINPET). Existem hoje nas residências do país aproximadamente 52,2 milhões de cães e 22,1 milhões de gatos de estimação, gerando renda para o setor e crescimento no mercado de serviços e produtos para os pets.

loja de ração

Segundo os dados da ABINPET, o faturamento do mercado nacional voltado para este segmento rendeu em 2016 cerca de R$ 18,9 bilhões de reais, e o setor de rações e alimentação representa, isoladamente, 67,3% desse valor. Isso reflete um crescimento de 4,9% em relação ao ano anterior (2015). Com certeza, esses são bons indicativos para quem está pensando em investir na área.

Mas você sabe quais medidas devem ser adotadas para garantir o planejamento adequado e o sucesso de um empreendimento no ramo? Apresentamos neste artigo os seguintes tópicos:


1. Onde abrir

2. Quanto e onde investir

3. Agregue valor ao seu negócio
4. Quais itens colocar na loja?
5. Fornecedores
6. Volume do estoque e armazenamento
7. Aposte na formação de seus funcionários

Como montar uma loja de ração?

Por se tratar de um empreendimento que não exige um alto custo de investimento e operação, alguns fatores são fundamentais para começar uma loja de ração animal e se destacar da concorrência. Com o mercado aquecido, é preciso buscar alternativas para oferecer diferenciais que ainda não tenham sido explorados por outras empresas do segmento.

Para auxiliar o desenvolvimento de estratégias para abrir o seu negócio, o Sebrae SC disponibiliza uma ferramenta gratuita para elaboração de um Plano de Negócio. Com ela é possível estruturar suas ideias e prever quais os principais desafios a serem enfrentados antes e depois da abertura do empreendimento.

A seguir, apresentamos alguns elementos essenciais e os primeiros passos para abrir uma loja de ração para animais:

  1. Onde abrir

Uma loja de rações deve estar situada em regiões centrais, com alta movimentação de pessoas durante o horário comercial. É necessário avaliar com atenção, pois esse fator pode ser determinante para o sucesso do seu negócio. Considere lugares onde as pessoas costumam ir para comprar produtos. Geralmente próximo a:

  • centros comerciais;
  • shoppings;
  • supermercados;
  • feiras de produtos ou artesanato;
  • avenidas ou ruas principais.

Verifique também se há concorrência na região e quais serviços podem ser ofertados para diferenciar o seu empreendimento.

Dica: apesar do custo imobiliário mais elevado, esses locais costumam gerar um excelente retorno quanto ao investimento e reconhecimento da marca. Além disso, determinar onde será aberta a loja de ração indica qual o perfil do público que a empresa deseja atingir. Isso contribui na decisão de valores a serem praticados, além dos tipos de produtos que serão oferecidos na loja.


Caso o foco do empreendimento seja apenas produtos importados, por exemplo, uma boa alternativa é abrir a loja em bairros estratégicos, onde o público tenha um poder aquisitivo mais elevado. Lembrando que é preciso estar atento às tarifas de importação e demais impostos para a comercialização de produtos internacionais.

As regiões mais afastadas dos centros urbanos também podem ser uma boa alternativa, caso não haja outros negócios do segmento na região. Neste caso, é possível praticar preços mais atrativos e criar maior aproximação com o público local. Promoções e outros benefícios podem ser boas ações para conquistar a fidelidade dos clientes.

 

  1. Quanto e como investir?

O valor do investimento inicial em seu negócio dependerá do tamanho e estilo do estabelecimento, mas o custo com infraestrutura e equipamentos para uma loja de rações não costuma ser tão alto se comparado com lojas de outros setores. Os maiores gastos estão relacionados a aquisição de matéria prima, equipamentos, abertura e regularização da empresa, que pode girar em torno de R$ 6 mil. O Sebrae nacional dispõe de uma análise completa sobre custos para abertura de loja de animais e pet shops.  

Algumas medidas que podem ser tomadas para reduzir o custo mensal com sua loja e evitar gastos desnecessários e prejuízos são:

  • escolher planos de telefonia e internet promocionais e que atendam as necessidades do empreendedor;
  • realizar a manutenção do estabelecimento para evitar gastos excessivos com água e luz.
  • selecionar fornecedores e empresas de frete com custos mais baixos;
  • fazer um seguro contra roubo ou acidentes em seu estabelecimento.

 

  1. Agregue valor ao seu negócio

Para uma empresa se consolidar no mercado é necessário que os clientes tenham uma boa experiência ao visitar a loja e adquirir seus produtos. Considere oferecer diferenciais como estacionamento ou entrega a domicílio, pois sacos de ração para animais podem ser pesados e difíceis de carregar. Além disso, é importante ter um cuidado especial com o atendimento. Faça treinamentos com seus colaboradores e crie um ambiente prazeroso tanto para os clientes quanto para sua equipe.

Dica: use a criatividade e dê asas ao seu espírito empreendedor. Se houver disponibilidade de recursos, você pode investir no desenvolvimento em um aplicativo de compras e entrega de seus produtos, por exemplo. No eBook Atendimento ao Cliente indicamos novas ferramentas gratuitas das mídias digitais que podem ser usadas reter e atrair novos consumidores, como o WhatsApp Business.

 

  1. Quais itens colocar na loja?

Um balcão de atendimento pode facilitar as transações, além de apoiar equipamentos como computador, impressora e telefone. É fundamental instalar prateleiras para expor as rações, produtos de higiene, balança e outros itens e acessórios para animais. Considere também investir em móveis como sofá ou cadeiras, para que os consumidores sintam-se a vontade e possam aguardar sentados em momentos em que não houver pessoas para atendê-los.

 

  1. Fornecedores

Fazer bons negócios com fornecedores é essencial para seu negócio. Realize uma pesquisa para encontrar produtos de qualidade com os melhores preços, mas não esqueça que se o fornecedor interromper a entrega ou reduzir o padrão de qualidade sua loja pode ser afetada. Por isso tenha sempre o contato de outros profissionais que possam atender demandas urgentes e ou façam entregas de produtos diferenciados para o seu estabelecimento.

loja de ração

 

  1. Volume do estoque e armazenamento

Quando o assunto é alimentação, o ideal é manter o volume de estoque positivo ou garantir que seus fornecedores possam repor, em pouco tempo, a demanda exigida. A compra de grandes quantidades pode reduzir o preço dos produtos, mas fique atento ao modo de armazenamento: as rações podem perder seus nutrientes em pouco tempo se expostos ao calor, ar ou umidade. Nesse sentido é fundamental preparar a sua organização contra os principais riscos e para o gerenciamento de crises, como problemas técnicos e naturais.

Importante: o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) proíbe a violação da embalagem original das rações para a venda fracionada de alimentos destinados a cães e gatos. Essa atividade só pode ser praticada por estabelecimentos devidamente registrados pela entidade.

 

  1. Aposte na formação de seus funcionários

Enquanto líder, você pode trabalhar na capacitação de sua equipe e valorização dos bons colaboradores. O Sebrae SC oferece um curso online de gestão de pessoas, que pode ajudar empreendedores a dar os primeiros passos para gerenciar equipes.

Além de auxiliar na organização e funcionamento da sua loja de ração, o funcionário deve agir como um consultor. É fundamental que os colaboradores conheçam bem os produtos que vendem, seus benefícios e o que pode ser mais adequado às necessidades de cada cliente. É necessário investir em qualificação e treinamento para oferecer um serviço e atendimento de qualidade e, assim, conquistar o reconhecimento e admiração dos consumidores.

Vale lembrar: para abrir uma loja de ração não é necessário contratar um médico veterinário. O profissional é exigido por lei quando o estabelecimento oferece serviços que exerçam atividades próprias da profissão: como clínicas ou farmácias veterinárias. Neste caso, não é necessário que o veterinário esteja presente durante todo o período de funcionamento da loja, mas no mínimo três horas por semana.

O Sebrae nacional lançou uma cartilha sobre sustentabilidade de clínicas veterinárias e pet shops, com várias dicas sobre planejamento e gestão desse tipo de empreendimento.
Ficou com alguma dúvida? Comente em nossas redes sociais e continue a acompanhar as publicações do nosso blog!

Super eBook do MEI

2 thoughts on “Loja de ração: como investir no ramo

  1. Mariglai Rodrigues Reply

    Estou estudando a possibilidade de abrir um negócio no ramo de ração e acessórios pet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *