O preço do produto fala muito sobre sua empresa

Vamos pensar na seguinte situação que provavelmente você, enquanto empreendedor, deve ter vivenciado. Depois de muito planejar, finalmente conseguiu montar seu negócio. Mas… e quanto ao preço do produto ou serviço? Quais aspectos devem ser levados em conta na hora de decidir qual valor cobrar?

O preço do produto fala muito sobre sua empresa

Esse é um ponto fundamental que deve ser bem planejado, uma vez que o preço do produto irá refletir os valores da sua empresa e alcançar seu principal objetivo, obter lucro. Por isso, posicionar a marca de forma adequada, incluindo nesse contexto o valor cobrado pelas mercadorias vendidas ou serviços prestados, é fundamental para manter o negócio no caminho certo.

Quais fatores considerar ao elaborar o preço do produto ou serviço?

O preço do produto deve ser justo tanto para a empresa, quanto para o consumidor. Nesse sentido, deve considerar tanto os custos de produção, mão-de-obra, gastos de manutenção, dentre outros aspectos.

Para você entender de forma prática o que esses componentes significam, veja os exemplos:

  • Despesas fixas: compreende tudo aquilo que você paga mensal e/ou regularmente para manter seu negócio. Por exemplo, aluguel do espaço onde está localizada a empresa (caso não seja um imóvel próprio), água, luz, telefone, salários dos funcionários, impostos diversos, dentre outras;
  • Despesas variáveis: consiste nos gastos realizados de forma variada, ou seja, podem não ocorrer ou ter alterações (para mais ou menos) a qualquer momento, de acordo com a situação do seu negócio. Entre elas, podemos citar as comissões dadas aos vendedores, seja por volume de venda ou alcance de alguma meta (diária, semanal, mensal…), gastos com embalagens, taxas pagas às operadoras de cartão de crédito/débito, etc.;
  • Concorrência: com base em estudos de mercado ou ainda na análise direta da atuação dos concorrentes, é possível determinar um valor equilibrado, que cubra as despesas fixas e variáveis e esteja de acordo com o praticado em seu segmento de atuação;
  • Lucro líquido: além de percentuais de valores que cubram os gastos fixos e variáveis, o empreendedor deve determinar um preço desejado e equilibrado com a concorrência, mas que garanta sua margem de lucro. Será o valor líquido obtido, livre de outros custos. Para chegar na resposta, use a fórmula do preço de venda líquido ou PVL (custo do produto ou serviço dividido por 1: XXX ÷ 1). O valor resultante deve ser subtraído pelo percentual da margem de lucro (que pode ser de 20%, por exemplo, ou outro que seja coerente para seu investimento, o que é praticado na concorrência e o que seu público pode pagar);
  • Variáveis externas: caso você possa investir em uma pesquisa de mercado poderá, por meio desse recurso, entender aspectos externos como a renda per capita em sua localidade, nível de renda e emprego, situação política e econômica do seu município/estado/país  – prevendo fatores como a inflação, etc. Tais informações também são relevantes ao planejar o preço do produto ou serviço.

Após levar todos esses fatores em conta, o empreendedor deve partir para a ação e calcular o valor na prática. A fórmula para executar a formação de preço do produto será o próximo tema aqui no site. Aguarde!

loja_virtual_para_pequenas_empresas