Restrição alimentar abre um novo nicho de negócio para bares e restaurantes

relatorio restrição alimentarSegundo um levantamento feito pela Euromonitor Internacional, “viver saudável” está no topo da lista para tendências em alimentação durante esse ano. Nesse contexto, a restrição alimentar vem ganhando destaque.  Seja por intolerância, alergia ou por opção, milhares de pessoas estão mudando seus hábitos de consumo alimentares.

Acompanhar essa tendência pode ser uma ótima oportunidade de negócio para os pequenos e médios empreendedores.

Panorama sobre consumidores com restrição alimentar

O público com restrições alimentares, seja por opção ou por causas ligadas à saúde, não para de aumentar. Pesquisa realizada pela Nielsen em 63 países e 30 mil pessoas, mostrou que 36% dos consumidores têm alergia ou intolerância a um ou mais gêneros alimentícios. Da mesma forma, 64% responderam que seguem uma dieta que limita ou proíbe o consumo de alguns alimentos ou ingredientes.

Além disso, a busca por alimentos fit ou naturais, sem ingredientes industrializados, representa outra tendência: já foram R$ 93,6 bilhões em vendas de alimentos e bebidas saudáveis em 2016. A previsão é que esse número cresça 4,4% por ano, até 2021.

Esses números representam o crescimento de um público que opta por uma alimentação saudável, ainda que não possua restrições por motivos de saúde.

Como adaptar seu negócio para atender a essa demanda?

Ainda de acordo com dados do Euromonitor Internacional, a categoria de alimentos chamada free from, na qual se enquadram produtos livres de glúten, lactose, alérgenos, lácteos ou carnes, cresceu 29% ao ano entre 2012 e 2017 no Brasil.

A receita anual, que era de R$ 519,4 milhões, passou a R$ 1,86 bilhão. A estimativa é de que, nos próximos cinco anos, o aumento seja de 6,3% por ano, alcançando a receita de R$ 2,52 bilhões em 2022.

Existe uma série de oportunidades para atender aos consumidores com restrição alimentar. Confira algumas ideias de negócios que têm tudo para ser promissoras:

  • Loja especializada;
  • Clube de assinaturas;
  • Restaurante vegano;
  • Lanchonete fitness;
  • Cafeteria sem lactose;
  • Entre outros.

Quer saber mais sobre esse novo nicho de mercado para alimentação e entender melhor as oportunidades para pequenos e médios negócios? Acesse o relatório completo sobre restrição alimentar desenvolvido pelo SIS/Sebrae aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *