Você sabe o que é um Microempreendedor Individual – MEI?

Você já deve ter visto muito a sigla “MEI” por aí, mas você sabe o que é um MEI? O que ele faz, quais os benefícios e os deveres de um? Confira abaixo tudo que você precisa saber para sair agora da informalidade e se tornar um Microempreendedor Individual.

microempreendedor individual

Pequenos empresários formalizados

O MEI – Microempreendedor Individual – é aquele que trabalha por conta própria, tem registro de pequeno empresário e exerce umas das mais de 400 modalidades de serviços, comércio ou indústria. A figura do MEI surgiu em 2008, com a Lei nº128, buscando formalizar trabalhadores brasileiros que, até então, desempenhavam diversas atividades sem nenhum amparo legal ou segurança jurídica. Com a legislação em vigor desde 2009, mais de 7 milhões de pessoas já se formalizaram como microempreendedores individuais.

Entre os vários benefícios da formalização estão:

  • aposentadoria;
  • auxílio doença;
  • auxílio maternidade;
  • facilidade na aberturas de contas e obtenção de crédito;
  • emissão de notas fiscais;
  • redução do número de impostos.

Para realizar a formalização é necessário acessar o Portal do Empreendedor e realizar o cadastro com o número do CPF, endereço e telefone, além de indicar a atividade principal que irá desempenhar como MEI. Para os profissionais que já têm um empreendimento consolidado como de conserto de roupas, chaveiro ou pedreiro, basta selecionar a ocupação correspondente. Já quem não tem uma atividade definida, mas deseja abrir o próprio negócio, deve considerar outras etapas antes de se formalizar como MEI. Um instrumento fundamental para isso é o Plano de Negócios, que auxilia a determinar vários aspectos de uma nova empresa, como a atividade principal e os serviços que serão oferecidos. É importante destacar que essa escolha é importante pois para cada tipo de ocupação há uma tributação diferenciada.

A arrecadação dos impostos para microempreendedores individuais ocorre de forma unificada pelo regime do Simples Nacional, ficando isento dos impostos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). Para isso, o MEI deve ser formalizado e pagar mensalmente o Documento de Arrecadação Mensal do Simples Nacional (DAS) que tem valor fixo, calculado da seguinte forma para o ano de 2017: R$ 5 de ISS (caso a atividade seja prestação de serviços); R$ 1 de ICMS (caso a atividade seja de indústria ou comércio); 5% do salário mínimo para o INSS. Assim, as taxas mínimas por mês são de R$ 47,85 (para comércio e indústria), R$ 51,85 (para prestação de serviços) ou R$ 52,85 (para comércio e serviços).

O pagamento das taxas pode ser realizado virtualmente, agendado em débito automático e ainda parcelado – em caso, de atrasos. Vale destacar que anualmente o MEI também deve apresentar o DASN-Simei (Declaração Anual de Faturamento), informando o rendimento bruto obtido pela empresa no período. Leia o artigo DASN-Simei: passo a passo para fazer a declaração e saiba como organizar a rotina financeira do negócio.

Principais dúvidas sobre Microempreendedor Individual – MEI

Jovens empresários ou empreendedores que ainda não são formalizados possuem várias dúvidas sobre as obrigações e direitos do MEI, assim como questões gerenciais relacionadas ao próprio negócio. Para lidar com tais questionamentos é importante acompanhar sites, revistas e buscar leituras que auxiliem no aprendizado sobre técnicas e aperfeiçoamento de habilidades. Em nosso Portal de Atendimento oferecemos vários cursos e materiais gratuitos sobre gestão, finanças, comunicação e vendas para microempreendedores. Abaixo listamos as principais dúvidas sobre a modalidade:

Qualquer pessoa pode virar MEI?
Com exceção de servidores, pensionistas, estrangeiros sem visto permanente e titulares de outras empresas, qualquer pessoa pode virar MEI (inclusive quem possui auxílio-família, auxílio doença aposentadoria por invalidez ou seguro desemprego).

Por que eu preciso me formalizar? Qual a importância de ser um profissional formalizado como microempreendedor individual?
Com a formalização, os profissionais passam a contar com uma séries de benefícios, direitos e garantias para o negócio, tal como: o pagamento simplificado de tributos sobre os produtos e serviços prestados; contribuição menor para a previdência; possibilidade de contratação; isenção de tributos federais; realização de empréstimos com taxa de juros reduzida e legalização das atividades desempenhadas.

Posso ser MEI e ter um emprego de carteira assinada?
Sim, não restrições para o trabalho do MEI.

Quais atividades podem ser enquadradas como MEI?
Atualmente mais de 400 atividades são enquadradas dentro do regime de Microempreendedores Individuais no país, desde de artesãos, comerciantes, gesseiros, jardineiros, etc. No site do Portal do Empreendedor, você pode ter acesso à lista completa de ocupações autorizadas.

Qual o limite de faturamento do MEI?
Até o final de 2017, o valor máximo de faturamento anual das atividades desempenhadas por um MEI é de R$ 60 mil. A partir de 2018, de acordo com Lei Complementar 155, o novo limite de faturamento passa a ser de R$81 mil, ou R$ 6.750 mensais.

Quais são as obrigações fiscais e contábeis do MEI?
Todo MEI deve:
– Pagar o guia DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional);
– Emitir um relatório mensal das receitas, para simplificar o controle fiscal;
– Emitir notas fiscais de vendas e prestações de serviços para outras empresas;
– Prestar informações do funcionário (Informação à Previdência Social e Guia do FGTS).

No artigo Obrigações do MEI: as atividades que todo MEI deve cumprir, apresentamos cada um destes pontos, detalhando como os processos devem ser executados pelos microempreendedores.

O microempreendedor individual pode trabalhar em casa?
Sim. De acordo a Lei Complementar 123/06, o MEI poderá trabalhar em casa quando a atividade desempenhada não tiver riscos, alta circulação de pessoas ou não for indispensável para o exercício do trabalho. Para isso, o MEI deve solicitar um Alvará de Funcionamento Provisório, na prefeitura onde residir.
O MEI pode ter funcionários?
Sim. Todo microempreendedor individual pode ter um empregado contratado, com o pagamento de um salário mínimo da categoria. Para isso o MEI também deverá arcar com as despesas de contratação e dos direitos trabalhistas do funcionário como FGTS, INSS e 13º. Caso o MEI deseje ter um quadro maior de trabalhadores, deverá se desenquadrar e virar uma microempresa. Vale destacar que o MEI não pode contratar seu cônjuge.

O MEI tem direito à aposentadoria?
Sim. O benefício é válido tanto por idade (mulher aos 60 anos e homem aos 65 anos), tempo de contribuição (mínimo de 15 anos), invalidez, acidentes de trabalho ou morte. Em todos os casos, o valor é de um salário mínimo, tanto para o MEI quanto para a família (pensão por morte).

Para ter direito à aposentadoria é necessário que o MEI esteja formalizado, tenha cadastro atualizado e o pagamento em dia do DAS (Documento de Arrecadação do Simples). No artigo Aposentadoria do MEI: Saiba por que é importante manter o cadastro ativo, apresentamos as diferentes modalidades de aposentadoria

Grávidas que são microempreendedoras individuais têm direito ao salário-maternidade?
Sim. Para isso é necessário solicitar o benefício por telefone na Central de Atendimento no número 135 (a ligação é gratuita, de telefone fixo).

O MEI precisa emitir nota fiscal eletrônica?
Não é obrigatório quando presta serviços para pessoas físicas. O microempreendedor deve apenas fornecer nota fiscal dos produtos ou serviços desempenhados para outras empresas. No entanto, se desejar emitir a nota fiscal eletrônica o MEI deverá possuir um Certificado Digital, inscrição estadual para emissão do documento e ainda utilizar algum emissor de NF-e.

Se você tem alguma outra dúvida, leia o nosso Super eBook do MEI ou envie seus comentários. Conheça também os nossos cursos gratuitos no Portal de Atendimento para capacitação de novos microempreendedores individuais.

super_ebook_MEI-e1484592472867

 

16 thoughts on “Você sabe o que é um Microempreendedor Individual – MEI?

  1. Marcia Fernandes Reply

    Sou funcionaria em uma empresa e gostaria de formalizar um negocio próprio. Posso ser MEI e continuar com meu emprego atual???

    • Sebrae Santa Catarina Post authorReply

      Oi, Marcia!

      Sim, MEI pode ter carteira assinada em outro local. Não há restrições na Lei referente a este aspecto.

      Porém, se você for funcionária pública, tem que ver se o estatuto do órgão que você trabalha permite que você seja sócia ou titular de empresa (no caso MEI).
      É o estatuto que irá permitir ou não. O setor pessoal do órgão público em que você trabalha tem acesso ao estatuto.

      Qualquer dúvida estamos à disposição.

      Abraço,

      Equipe SEBRAE/SC

  2. newton Reply

    Por favor,gostaria de receber orientação sobre um problema em relação a como fechar uma empresa S.A,e me tornar um MEI.Em 1992,abri uma empresa no ramo de estamparia e confecção junto com um amigo e com um ano de funcionamento ele saiu e ficou minha filha como sócia apenas pró forma.Não conseguindo tocar sozinho o negócio deixei prá lá e fiquei informal até hoje,só que consta como ativa na Receita Federal.
    Tentei fechá-la e não consigo por causa dos custos e então pergunto se é possível mesmo assim ser um MEI e como resolver o problema da empresa.
    Agradeço desde já pela ajuda.
    Newton

    • Sebrae Santa Catarina Post authorReply

      Olá Newton, obrigada pelo contato. Infelizmente não é possível você se registrar como MEI tendo essa pendência na Receita Federal. Você terá mesmo que dar baixa nessa empresa.. Procure um contador e veja a possibilidade de negociação e parcelamento dos custos.

      Estamos à disposição.

      Abraço,

      Equipe SEBRAE/SC

  3. Elen Reply

    Olá!! No ano que foi lançado o MEI eu me cadastrei e usei por quase um ano, depois acabei voltando a trabalhar fora e abandonei o MEI, mas acabei não dando baixa! Isso caduca? como faço pra ver como está meu cadastro? não tenho mais senha e nem contato da cantabilidade que fez todo o processo pra mim… Aguardo

    • Sebrae Santa Catarina Post authorReply

      Olá Elen. Obrigada pelo contato.

      Não, Isso não caduca. Você precisa dar baixa desse registro. Para recuperar seu cadastro, você deve acessar o site http://www.portaldoempreendedor.gov.br – clique em MEI – Microempreendedor Individual, depois clique em Emissão de Certificado do MEI – CCMEI; informe seu CPF e data de nascimento e clique em prosseguir – Vai abrir o seu cerificado de MEI com todo seu cadastro, número de CNPJ. Você pode dar baixa também no portal. Mas para isso você precisa fazer as declarações anuais que você não fez e a declaração de extinção.

      Você precisa ir à Receita Federal para ver a sua dívida. Quando você solicitou seu registro você se comprometeu a pagar todos os meses aquela contribuição, se você não pagou, está devendo. Sugerimos que você procure a Agência do SEBRAE mais próxima de você e solicite ajuda. Ligue gratuitamente em nossa Central de Relacionamento 08005700800, os endereços de todas as unidades em Santa Catarina estão no link abaixo:

      http://blogsebrae.com.br/index.php/atendimento/

      Estamos à disposição!

      Abraço,

      SEBRAE/SC

  4. ANA PAUAL Reply

    Boa tarde!
    Gostaria de saber se minha filha que já tem 18 anos poderia ser MEI pois ela quer abrir um comercio e quer saber se caso passe da cota de r$5000,00/mês o que acontece e se é rapido abrir esse cadastro e se na atividade poderá ter mais de uma.
    Aguardo.
    Paula.

    • Sebrae/SC Post authorReply

      Oi, Ana Paula, tudo bem?

      Sim, com 18 anos a pessoa física pode abrir um MEI.

      Se ela abrir o MEI no início do ano, o valor limite do faturamento no ano é de R$ 60.000,00. Mas se ela abrir durante o ano o valor limite não é mais R$ 60.000,00, mas sim 60 mil divididos pelo número de meses que falta par ao fim do ano. Por exemplo, se ela abrir em novembro/2014 então o limite de faturamento é de R$ 10.000,00 (60 mil divididos por 12 e multiplicado por 2 meses – nov e dez).

      Se o MEI exceder o limite de receita bruta, deve comunicar obrigatoriamente à receita federal até o último dia útil do mês subsequente àquele em que ocorreu o excesso, produzindo efeitos:

      a) a partir de 1º de janeiro do ano-calendário subsequente ao da ocorrência do excesso, na hipótese de não ter ultrapassado o referido limite em mais de 20% (vinte por cento); (produção de efeitos: 1º de julho de 2009)

      b) retroativamente ao início de atividade, na hipótese de ter ultrapassado o referido limite em mais de 20% (vinte por cento). (produção de efeitos: 1º de julho de 2009)

      O MEI desenquadrado passará a recolher os tributos devidos pela regra geral do Simples Nacional a partir da data de início dos efeitos do desenquadramento.

      O cadastro se faz no site do portal do empreendedor http://www.portaldoempreendedor.gov.br/mei-microempreendedor-individual

      É rápido o cadastro e pode ser escolhido mais de uma atividade. Mas aconselhamos que se retire a consulta de viabilidade na prefeitura antes de se formalizar, a fim de verificar se o endereço escolhido é autorizado pela prefeitura.

      Estamos à disposição.

      Abraço,

      Equipe Sebrae/SC

  5. SOELI Reply

    Olá, estou pensando em me cadastrar como MEI e tenho uma dúvida, se eu estou dependente na declaração de IRPF do meu esposo, depois eu posso continuar como dependente dele? Ou a partir disso eu faço minha declaração e não serei mais dependente dele? Não entendi direito como fica as questões do IR…
    Grata,
    Soeli

    • Sebrae Santa Catarina Post authorReply

      Oi, Soeli! Para fins de Imposto de Renda Pessoa Física, a dependência, independe de você ser MEI ou não. Isto é, se você for casada com ele, você pode ser dependente dele para fins de IRPF, mesmo tendo empresa ou esteja recebendo outros rendimentos. Agora cuidado, quando um dependente recebe rendimentos tributáveis, este se somam aos rendimentos tributáveis do titular da declaração e, geralmente, não vale a pena continuar com esse dependente para cálculo do IRPF, pois o valor do imposto vai aumentar. No seu caso específico, se você abrir um MEI, essa empresa não vai mudar os valores da declaração do seu marido.

      Estamos à disposição.

      Abraço,

      Equipe Sebrae/SC

  6. Daniel Santa Anna Reply

    Ola bom dia, sou um Microempresario e neste mes não presto mais serviços para a empresa que prestava, sendo que em setembro gerei uma nota de R$ 3.800 referente ao meu trabalho.

    A empresa a titulo de bonificacao e valores de férias e afins me depositou o valor de R$ 9000.00. Gostaria de saber se posso gerar uma nota com este valor ou se devo liquidar a cada mês nao ultrapassando o valor de R$5000?

    Ex: em outubro emito nota de R$5000 e novembro R$4000.

    Obrigado e aguardo contato.

    • Sebrae Santa Catarina Post authorReply

      Oi, Daniel! Tudo bem?

      Em qual perfil você se encaixa, Microempreendedor Individual ou Microempresa?

      Aguardamos seu retorno para ajudarmos melhor na sua dúvida.

      Abraço,

      Equipe Sebrae/SC

  7. Ana Reply

    Sou dentista e para realizar atendimento para
    Convênios vou necessitar de CNPJ. Pode ser através
    Do microempreendedor ? Obrigada

    • Sebrae/SC Post authorReply

      Oi, Ana!

      Não, a atividade de dentista não pode se cadastrar como MEI.
      Somente as atividades expressas no Anexo XIII da Resolução 94/2011 e suas alterações poderão optar pelo MEI.

      As atividades entendidas como profissionais não poderão optar pelo MEI por não pertencerem à lista de atividades do MEI.

      Estamos à disposição.

      Abraço,

      Equipe Sebrae/SC

  8. Vanderlei Reply

    Fiz o MEI e vou precisar emitir nota de produto. Terei que pagar ICMS normal, no caso de Santa Catarina 17%? Vi que posso emitir nota avulsa no SEFAZ SC.

    • Sebrae/SC Post authorReply

      Oi, Vanderlei!

      O SIMEI poderá emitir Nota Fiscal, modelo 1 ou 1-A, quando vender para outras empresas ou a D1 para consumidor final (pessoas físicas). Fica também autorizado o uso de ECF para emissão de Cupom Fiscal.

      Se preferir, também pode fazer a NF eletrônica nos casos permitidos pelo artigo 5º.do RICMS/SC, sendo estes:
      · vendas para órgãos públicos;
      · operações interestaduais.

      Caso o MEI não tenha inscrição estadual, sugerimos fazê-la para poder emitir NFA-e, inclusive para o fornecimento a empresas que só aceitam mercadorias acompanhadas com NFe.

      Acesse o link a seguir e faça a IE para a sua empresa.
      https://tributario.sef.sc.gov.br/tax.NET/tax.Net.SimplesNacional/sna_CadastrarSIMEIConfirma.aspx

      Assim que tiver a inscrição estadual, o MEI terá a opção de emitir Nota fiscal eletrônica avulsa (NFA-e), conforme seguem passos:
      Utiliza-se o “SAT” como emissor, cfe previsto no RICMS/SC Anexo 11, art. 9º b. – Para obter a senha de acesso utilize o link abaixo e preencha o Cadastro – Termo de Compromisso da Empresa.doc:
      http://www.sef.sc.gov.br/sistemas/sat
      – Entregue o documento na repartição fazendária de sua cidade.
      – De posse da senha de acesso ao “SAT” (Link disponível na página http://www.sef.sc.gov.br) o MEI estará habilitado a utilizar a Nota Fiscal Avulsa eletrônica para operações interestaduais e vendas a órgãos públicos.

      Lembrando que para o microempreendedor individual – MEI – com inscrição estadual é vedada a emissão de NF-eletrônica, cfe RICMS/SC Anexo 4, art.5º, § 2º. exceto nos casos expressos acima.
      * Para o MEI que emitir NF-e deverá constar no campo Informações Complementares, por qualquer meio gráfico indelével, a expressão “Documento Fiscal Emitido por Optante pelo SIMEI”.
      ** Para o MEI sem inscrição estadual utilizar o sistema (NFA-e para não contribuintes) no link: http://www.sef.sc.gov.br/servicos-orientacoes/diat/nota-fiscal-avulsa-eletr%C3%B4nica-nfa-e-para-n%C3%A3o-contribuintes
      *** A Nota Fiscal Avulsa em papel nos termos do RICMS-SC/01, Anexo 5, art. 47, continua válida, podendo ser emitida em possíveis casos de indisponibilidade do aplicativo emissor da NFA-e.

      Estamos à disposição.

      Abraço,

      Equipe Sebrae/SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *