Como administrar um brechó: 5 dicas para o seu negócio

como administrar um brechó

Você tem dúvidas sobre como administrar um brechó? Esse tipo de negócio pode ser bastante promissor para quem gosta de trabalhar com moda, mas não tem muito dinheiro para investir ou que acredita em uma relação de consumo mais sustentável. 

Você pode entender de tendências fashion, mas não sabe lidar com a papelada de uma empresa? A administração de um brechó é um dos pontos que acaba dificultando a manutenção do negócio e o seu sucesso. Neste artigo, vamos apresentar algumas dicas específicas sobre como administrar um brechó. Acompanhe!

Os brechós estão em alta no mercado

A economia compartilhada se tornou uma tendência, em parte estimulada pela crise, que fez com que o consumidor buscasse alternativas de compras mais econômicas. Outro motivo para incentivar essa prática é a consciência ambiental. As pessoas estão mais preocupadas com o destino que darão para os seus objetos pessoais que estão em boas condições. 

A conscientização está crescendo até entre os mais ricos. Um estudo sobre o consumo de luxo, realizado pela Boston Consulting Group, o “BCG-Altagamma True-Luxury Global Consumer Insight 2019”, revelou que a compra e venda de produtos de luxo usados está crescendo 12% ao ano entre os milionários e bilionários. Esse tipo de comércio representa 7% do mercado de luxo.

Foi-se o tempo em que brechó era sinônimo de roupas baratas de segunda mão. Uma visão mais colaborativa da moda tornou os brechós fontes interessantes de peças de vestuário. Isso ocorre porque as tendências são cíclicas e itens marcantes de outras décadas podem se encaixar no visual de forma repaginada. Esse comportamento abre um mercado promissor para brechós que apostam em peças exclusivas, que não se encontra mais nas lojas comuns. 

Os hábitos e a experiência de compra mudaram. Os clientes buscam economia, mas não abrem mão das tendências de moda e de adquirir produtos de qualidade. Por esse motivo, saber como administrar um brechó é um diferencial importante frente a concorrência. 

Um brechó não é uma loja de moda comum, faz parte de um conceito e um estilo de vida, seja porque o cliente deseja encontrar peças de grandes grifes a preços mais baixos, ou porque acredita na economia sustentável. 

História inspiradora 

O empreendedorismo pode surgir de uma oportunidade em sua própria casa. Fabiana Soares Santos de Souza, 22 anos, abriu um brechó com as roupas que tinha sobrando no armário. Com a venda desses primeiros itens, a estudante de Administração conseguiu faturar o suficiente para investir em novas peças e montar o seu negócio. Atualmente, a dona de brechó chega a faturar R$ 7 mil por mês com a venda de suas peças.

O brechó “Tô de volta” começou como uma loja online. Fabiana divulgava seus produtos pelo Instagram e realizava as entregas pessoalmente. Em seguida, a empreendedora percebeu uma oportunidade de negócio na criação de uma loja física. 

Quem compra em brechó

O perfil de público que procura comprar roupas em brechós é bastante variado. Existem clientes desde os mais modestos aos mais descolados e exigentes. Há, por exemplo, brechós focados na venda de artigos de luxo. Nesses locais, é possível encontrar peças de grifes famosas por R$ 5 mil. Modelos que, se fossem compradas novas, custariam em torno de R$ 20 mil. Por outro lado, existem os brechós mais populares, com itens a partir de R$ 5, mas que não perdem o charme! Identifique qual o perfil do público que deseja atingir e concentre-se em garimpar peças que atendam a sua necessidade.  

Entender as necessidades do público e identificar as oportunidades do negócio são características fundamentais para quem tem um brechó e quer ter sucesso em sua administração. 

Identificar os perfis de consumo de cada público ajuda a fazer as escolhas dos produtos, a divulgação e o atendimento de forma personalizada. Entender o que o público quer consumir e porque estão frequentando aquele espaço vai guiar as estratégias do empreendedor para o seu negócio. 

Como ter um brechó de sucesso

Para que esse tipo negócio seja rentável, precisa ser vantajoso não só para o cliente, mas principalmente para o proprietário. Afinal, é um tipo de trabalho que exige muita dedicação, um olhar apurado para as oportunidades e jogo de cintura. Os rendimentos são variáveis e é preciso se organizar para não ter o negócio prejudicado. 

A dica é apostar em diferenciais para atrair e fidelizar o público. Você pode focar seu acervo de peças em épocas específicas, em estilos ou até mesmo faixas etárias: os brechós para roupas infantis são um sucesso!

As redes sociais ajudam a estimular esse novo tipo de consumo. Perfis no Instagram ou Facebook funcionam como vitrines para os produtos. Fotos caprichadas das peças ajudam a vender, sem que a pessoa precise garimpar por entre as araras de uma loja física. Falando nisso, as vendas online são forte tendência nesse segmento. 

Veja, a seguir, mais dicas que vão te ajudar a saber como administrar um brechó.

Como administrar um brechó: 5 dicas para aplicar no seu negócio

Começar um brechó parece uma tarefa simples e realmente pode ser, se usarmos como exemplo o caso da Fabiana, que abriu o seu com peças que tinha em casa. Porém, é no dia a dia que os desafios aparecem. 

Depois que as primeiras peças são adquiridas, é preciso divulgar, vender e gerenciar as finanças do negócio para garantir que novidades serão oferecidas aos clientes. Para ter sucesso, um brechó não pode esperar por doações ou interesse de pessoas que têm peças para vender. É preciso estar sempre à procura de novas roupas. 

Um dos maiores desafios na gestão de um brechó é lidar com o volume de tarefas. Em geral, os brechós são administrados por uma única pessoa, que precisa buscar novas peças, vender e gerenciar o negócio. Por isso, muitos empreendedores enfrentam a dúvida “como administrar um brechó?”. É difícil pensar em tudo e executar todas as tarefas com qualidade, mas não é impossível. Vamos ver as dicas!

  1. Aproveite os benefícios da internet

As redes sociais são ótimos canais de divulgação e relacionamento com o cliente. Para quem tem um brechó físico, esse recurso é uma oportunidade de alcançar e vender para novos públicos.

Depois de criar o perfil do seu brechó, mantenha a conta atualizada com as novidades, estimule as interações do público e não deixe de responder os clientes. Use hashtags específicas para ajudar os compradores a encontrar sua loja e utilize a geolocalização, se o objetivo for atrair visitantes para seu espaço físico. 

  1. Cuide da sua marca

Qual é a imagem que você quer que os clientes tenham do seu brechó? O ambiente deve ser limpo, organizado, confortável e proporcionar uma experiência agradável ao cliente. Isso faz com que o público tenha interesse em frequentar e recomende o lugar.  

Facilite a vida do seu cliente e faça com que ele tenha uma boa imagem do seu negócio. Mantenha sua loja sempre limpa, bem iluminada e arejada. 

Capriche na qualidade do seu acervo. Invista em itens de qualidade, faça a higienização das peças e as mantenha sempre limpas e com aroma agradável. Alguns brechós investem em aromatizadores para a loja, mas tome cuidado para não tornar o ambiente “cheiroso” demais e acabar afastando os clientes.

  1. Invista na segmentação

É bastante comum que os brechós vendam peças variadas, que atendem diferentes perfis. Essa estratégia pode ajudar o negócio economicamente, pois a oferta será maior. Por outro lado, não são todas as pessoas que frequentam brechós. 

O recomendado é começar a observar o público que frequenta o seu brechó para identificar o perfil e as peças que costumam buscar. Você também pode segmentar o seu brechó de acordo com o perfil de público que deseja atender. 

A segmentação ajuda a sua marca a criar uma identidade. Dessa forma, os clientes vão procurar por ela sempre que tiverem interesse em comprar algo específico. Você pode se especializar em jeans, por exemplo, e oferecer diferentes modelos, tendências e marcas em seu brechó. A segmentação pode ajudar a construir uma clientela fiel. 

  1. Cuide da gestão de estoque

Diferentemente das lojas de roupas novas, os brechós não acumulam peças iguais. O cliente sempre terá uma peça exclusiva. Isso não quer dizer que não existe preocupação com a gestão de estoque, pelo contrário. 

Os brechós vendem peças que são únicas e não serão encontradas em outros lugares. Por outro lado, é importante ter cuidado com investimentos muito altos. O dono do brechó deve desenvolver a habilidade de identificar produtos com potencial de venda para não ter prejuízo. 

A seleção das peças deve ser feita de forma estratégica, pensando no interesse do público-alvo. Uma alternativa para evitar erros de investimento é a consignação. Nesse caso, o fornecedor deixa algumas peças no brechó e recebe sua porcentagem ou valor acordado após ser vendida. 

  1. Profissionalize o seu negócio

Sempre que ouvimos a história de um brechó, ela começa com pessoas que gostam de moda ou que tinham algumas peças que precisavam vender. Não são pessoas que abriram um negócio com o objetivo inicial de empreender. Por esse motivo, é comum que não tenham noções sobre finanças, gestão, estoque, investimentos e outros aspectos fundamentais para o sucesso de uma empresa. 

A começar pela profissionalização, poucos brechós são formalizados. Isso pode dificultar o crescimento do negócio. A formalização oferece diversos benefícios, como a facilidade na negociação com grandes fornecedores, proporciona segurança para o cliente e facilita a obtenção de crédito para estimular o desenvolvimento do negócio e a oferta de diferentes meios de pagamento. 

A falta de capacitação profissional é outro fator prejudicial para a empresa. Dificuldades de negociação com o fornecedor, problemas de atendimento ao cliente, prejuízos financeiros envolvendo estoque e finanças, além dos erros de administração, são aspectos que podem ser solucionados com conhecimentos específicos. 

A capacitação pode ser adquirida sem que seja necessário fazer altos investimentos. No site do Sebrae/SC há uma série de cursos desenvolvidos para ajudar na profissionalização e capacitação do profissional. 

São cursos sobre formação de preços, gestão financeira, gestão de vendas, técnicas de vendas, fluxo de caixa, custos, despesas, marketing, e-commerce e mais uma série de conteúdos focados em cada área do negócio. 

Transformar o pequeno negócio em uma empresa de verdade, que gera emprego e movimenta a economia da região, é um desafio, mas que pode ser enfrentado com os parceiros certos. O Sebrae/SC é parceiro do pequeno empreendedor e disponibiliza uma série de conteúdos para ajudar quem já tem um negócio e quer crescer. Acesse o site, confira os conteúdos do blog, inscreva-se nos cursos ou solicite uma consultoria especializada para o seu brechó.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *