O que você deve saber sobre gestão de compras e estoque: um guia de estudos

Como aprender o que comprar e como comprar com uma boa gestão de compras e estoque

Sustentabilidade nos pequenos negócios é algo a longo prazo. Como encontrar um coeficiente maduro para sua empresa e gerenciá-lo? A resposta passa pela gestão de compras e estoque. Com avanços tecnológicos, torna-se imperativo softwares de otimização e controles para a demanda das empresas, mas a projeção pessoal e o faro para negócio ainda são as bases da pirâmide. Como saber a quantidade do que comprar para vender? Como gerar lucro e economia?

gestão de compras e estoque

Hoje, para atender resultados satisfatórios de demanda, o conhecimento sobre o produto que se vende é importantíssimo, o que inclui a gestão de compras e estoque. Assim, a primeira fórmula que um bom empreendedor precisa pensar é para quem aquele produto se destinará, onde ele será utilizado, sua durabilidade e o retorno. Para o empresário gaúcho Alexandre Mallet Kolling, tudo gira em torno de controle e longevidade. Precisa-se de um plano para adequar a clientela ao seu fornecimento e procurar saídas para atender novas demandas. O empresário Luciano Hang, do grupo Havan, em entrevista ao Diário Catarinense, apontou também o momento que o país passa e a necessidade de estabilidade. Para o catarinense, os empresários precisam saber equilibrar a geração de caixa e o crescimento dos negócios. “Há a necessidade de concentrar em deixar a empresa economicamente viável, no sentido de redução de despesas e de geração de caixa, ou seja, aquilo que o governo devia fazer, diminuindo a despesa e aumentando a receita.”, Hang finaliza.  

No seu relatório semestral Sensor, que avalia a competitividade empresarial, o SEBRAE indicou numa análise do desempenho das Microempresas que houve a maior queda em seis anos em faturamento. Apenas 20% das empresas afirmaram um aumento de faturamento em relação ao mesmo período de 2015. Naquele ano, inclusive, um levantamento do SEBRAE já destacava que 55% das MPEs registraram aumento e estabilidade nas vendas como decorrência de uma melhor gestão. Atualmente, o próprio Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina trabalha com dispositivos que prestam consultoria ou auxiliam na organização – desde aplicativos para controle de finanças até soluções práticas para a gestão de estoque levantadas em oficinas.

Da compra para o controle de estoque

Após adquirir as matérias-primas necessárias para a produção, o empreendedor precisa organizar sua gestão de compras e estoque. Para um fornecedor de produtos empresariais, por exemplo, a necessidade de saber quantos tapetes personalizados, impressoras, projetores, toners e outras ferramentas o cliente irá precisar no decorrer do ano. Fazer uma projeção de estoque mínimo para garantir que tanto o cliente que possui como outros possam adquirir seus produtos. Essa projeção, costuma-se chamar de estoque de segurança. Para muitos empreendedores, é o segredo do sucesso. Uma margem de risco e de expansão. Caso você tenha 10 impressoras em seu estoque, pensando em estoque mínimo, ter uma margem de pelo menos cinco a mais pensando em 10 ou 15 dias é importante para seu negócio. Uma empresa lhe procurar e você não ter o produto para oferecer causa uma lesão na imagem empresarial que poucos estão dispostos a pagar, além da perda de lucro. Sem contar as novas necessidades dos atuais clientes, que podem se expandir, igualmente.

Entretanto, para especialistas em gestão, é importante que não se confunda o risco com gastos excessivos. Muitos negócios acabam se perdendo, após o empreendedor comprar 80% a mais do que vende. É necessário estar sempre atento ao mercado, portanto. Em um artigo publicado na Revista Pensar sobre o impacto da administração de estoques na gestão de custos logísticos, os administradores avaliam a manutenção da gestão de compras e estoque como sendo primordial para a maior redução de custo. “as empresas fazem o uso de estoques para melhorar a coordenação entre oferta e procura e igualmente a fim de reduzirem seus custos totais”. Ou seja, “mais do que uma necessidade, a estocagem é uma conveniência econômica”, indica o artigo ao citar uma tese de Ronald Ballou, do livro Logística empresarial.

Os administradores também levantam a afinidade que o gestor precisa ter com os períodos cíclicos da empresa no giro de estoque, já que o que se vende em janeiro, não é o mesmo de fevereiro, março, abril, maio ou junho. É igualmente importante que o empreendedor negocie prazos e descontos prevendo atrasos e reajustes no fornecimento, mas sempre se posicione à frente. Antecipar-se na logística é a palavra de ordem.

Para saber mais sobre gestão de compras e estoque, recomendamos também a leitura do artigo Como elaborar o controle de estoque de mercadorias. Ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário para nós.

5_dicas_promover_vendas_namorados