Pandemia: CEOS indicam filmes e livros inspiradores para virar o jogo e empreender

Dicas de livros e filmes para quem quer empreender

A crise gerada pela pandemia global da Covid-19 tem afetado diretamente o setor econômico, especialmente para profissionais autônomos, que tiveram que parar suas atividades em respeito às restrições preventivas. Porém, apesar do cenário atípico, há quem veja o momento como oportunidade para tirar do papel algum projeto (até por uma questão de necessidade).  De acordo com o Portal do Empreendedor do Governo Federal, até abril, o número de MEIs registrados atingiu 10,016 milhões – quase 11% a mais em comparação ao final de 2019.

Para quem planeja começar um negócio, alguns livros, filmes e seriados podem ser fonte de aprendizado. Confira as dicas de 13 CEOs e especialistas que podem inspirar novos empreendedores:

LIVROS

Do Sonho a Realização em 4 passos — Steve Blank

Sugestão de: Daiane Andognini, CEO da Hug – consultoria focada em cultura e gestão de pessoas para empresas de tecnologia

“Apesar de ter uma abordagem para empresas de base tecnológica, “Do sonho a realização em 4 passos” é um livro indispensável para todos que desejam trazer ao mercado um novo produto, escrever planos de negócios, marketing e vendas. Uma das principais literaturas contemporâneas sobre a metodologia de criação de produtos e empresas chamada Customer Development”.

O lado difícil das situações difíceis: como construir um negócio, quando não existem respostas prontas — Ben Horowitz

Sugestão de: Ricardo Hoerde, CEO da Diálogo Logística

“A experiência empreendedora do autor (Ben), cofounder da Andreessen Horowitz e um dos profissionais mais importantes do Vale do Silício, é contada no detalhe. Tudo o que deu certo e errado em sua trajetória empresarial ele aborda com uma linguagem muito clara e inspiradora. O momento que estamos passando é perfeito para ler este livro”.

Sonho grande — Cristiane Correa

Sugestão de: Leonardo Rochadel, CEO da O2OBOTS, primeira Insurtech brasileira focada no empoderamento dos canais de distribuição de seguros

“O livro conta como Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira revolucionaram o capitalismo brasileiro e conquistaram o mundo. A primeira vez que eu li este livro, presente de um amigo, foi antes da pior crise econômica da história brasileira recente (2015/16) e “as cutucadas” deste livro me energizaram para empreender novamente e construir uma máquina de vendas para atuar exclusivamente em um nicho de R$460 bilhões no Brasil. “Grande ou pequeno, dá o mesmo trabalho realizar o sonho. Melhor sonhar muito grande! – Leonardo Rochadel “mal copiado” do Jorge Paulo Lemann.”.

Vencedoras por opção — Jim Collins e Morten T. Hansen

Sugestão de: Luiz Alberto Ferla, fundador e CEO do DOT digital group, empresa de educação digital que já capacitou mais de 10 milhões de pessoas com sua soluções e tecnologias

“O livro Vencedoras por Opção – Incertezas, caos e acasos – Por que algumas empresas prosperam apesar de tudo enumera os princípios necessários para construir uma empresa de sucesso em tempos imprevisíveis e tumultuados. Alguns dos ensinamentos: seja disciplinado, empírico e produtivo; mantenha foco no seu negócio; dose inovação e mescle criatividade com disciplina; e contrate excelentes profissionais. Mesmo num mundo caótico e incerto, o sucesso é uma opção e não apenas um golpe de sorte.”

Flow: The Psychology of Optimal Experience — Mihaly Csikszentmihalyi

Sugestão de: Guilherme Pereira Pinto, CEO da HBSIS Ambev, o hub de tecnologia da maior cervejaria da América Latina

“As famosas investigações da “experiência ideal” do psicólogo lendário Mihaly Csikszentmihalyi revelaram que o que torna uma experiência genuinamente satisfatória é um estado de consciência chamado fluxo. Durante o fluxo, as pessoas geralmente experimentam o profundo prazer, criatividade e um envolvimento total com a vida. Nesta nova edição de seu trabalho clássico e inovador, Csikszentmihalyi fala sobre este estado máximo de concentração, consciência e satisfação que o ser humano é capaz de colocar em alguma atividade. Acredito que ajuda muito a aprender a como se concentrar, seja em uma reunião, atividade ou qualquer desafio, especialmente em tempos de isolamento social, como o que vivemos.”

Pai Rico, Pai Pobre – Robert Kiyosaki e Sharon Lechter

Sugestão de: Sidnei Bunde, CEO da Supero, empresa de tecnologia há 17 anos no mercado oferecendo soluções em TI e alocação de mão de obra especializada.

“Este livro foi uma grande inspiração para mim, pois o autor vai ensinando por meio da sua experiência como podemos começar a fazer o dinheiro trabalhar para a gente, mudar o mindset para pensar em criar ativos – coisas que gerem receita, não apenas o salário. O empreendedor faz isso, ele cria oportunidades, empregos, investimentos, consegue diversificar a possibilidade de criar independência financeira.”

Satisfação Garantida – Tony Hsieh

Sugestão de: Fernando Salla, CEO da Effecti, startup especializada em automação para participantes de licitação

O livro conta a história da fundação da Zappos, loja online de sapatos que começou como startup e foi adquirida pela Amazon por quase 1 bilhão de dólares. “É muito interessante toda a história da superação das dificuldades desde o início, e como enfrentaram os diversos momentos de crise, principalmente colocando em primeiro lugar a satisfação das pessoas, o comprometimento com o time, tendo como grande propósito que as pessoas da organização se sentissem felizes e encontrassem propósito naquilo que estavam fazendo. Isso nos inspirou a colocar diversas coisas em prática na Effecti”

FILMES

O Homem que Mudou o Jogo — dirigido por Bennett Miller

Sugestão de: Alexandre Souza, gestor do Startup SC, do Sebrae/SC

“Inspirado na história real de Billy Beane, treinador do pequeno time de baseball Oakland Athletics, que, em 2002, mesmo com a menor média salarial da liga de baseball americana, levou o time a uma incrível marca de 20 vitórias consecutivas. Tudo isso utilizando análises estatísticas de jogadores. O filme deixa uma lição valiosa que muitos empreendedores deixam passar: confie nos números, estatísticas, dados e contas. Muitas vezes a ideia pode ser maravilhosa, mas os números mostram que não é o melhor momento para investir nela ou até mesmo que, se o empreendedor esperar um pouco, conseguir mais investimentos e fornecedores, seu negócio pode prosperar. Veja os números e confie nas estatísticas.”

Pad Man — dirigido por R. Balki

Sugestão de: Moacir Marafon, sócio-fundador e diretor-executivo da Softplan, uma das maiores empresas de transformação digital de órgãos públicos e privados do país

“Baseado na história real do empreendedor indiano Arunachalam Muruganantham, Pad Man mostra como um homem, preocupado com o bem-estar de sua esposa, inventou uma máquina que produz absorventes de baixo custo. Para impactar a sociedade indiana, o protagonista precisou entender que as mulheres – o cliente, no caso – têm necessidades específicas. Reconhecer essas diferenças fez com que conseguisse cumprir seu objetivo. Este filme ensina ao empreendedor que só é possível alcançar o sucesso quando a inovação ou o empreendimento resolvem um problema real. Para isto, foi fundamental interagir com o cliente e entender suas necessidades, prototipar, ir para a rua testá-lo e refazê-lo até chegar a um produto que o cliente pague por ele. Pad Man é uma grande história de inspiração, propósito e persistência, pois quebra paradigmas em busca de uma causa gerada pela empatia e por amor.”

O menino que descobriu o vento – dirigido por Chiwetel Ejiofor 

Sugestão de: Aparecida Morais, sócia da Recrutei, plataforma de recrutamento e seleção para pequenas empresas e consultorias de RH

 “Enxergo na história do protagonista William Kamkwamba – garoto que, estudando um livro de ciências, constrói uma turbina eólica para salvar da fome seu vilarejo no Malawi –  a motivação empreendedora. William carrega o propósito de mudar a realidade da sua família, e com recursos rudimentares ergue a primeira torre. O que isso tem a ver com empreender? Tudo. Um novo negócio nasce irremediavelmente de um sonho, da vontade de responder algo a si mesmo, à sociedade ou ao mundo. A escassez de recursos financeiros é a regra, mas outros recursos intangíveis se apresentam nessa jornada. O empreendedor adquire e constrói sua base e suas reservas de competências pessoais à medida em que erra e acerta, que recebe sim e não, que floresce e que naufraga.  O que permanece naqueles que vão à frente é o seu propósito – que pode ser ajustado, mas nunca abandonado.”

À procura da felicidade – dirigido por Gabriele Muccino 

Sugestão de: Jonathan Pirovano, CEO da Motoboy.com, startup especializada em entregas ultrarrápidas (em até duas horas)

 “É um filme biográfico que traz um exemplo de persistência, mesmo com tudo em volta dizendo para desistir. A história é uma lição de que, para conquistar o que quer, é necessário sacrifícios. O personagem principal, Chris Gardner (interpretado por Will Smith) passa por dias difíceis ao lado de seu filho, chegando até a dormirem num depósito do metrô. As condições pelas quais passam são extremas, mas retrata que a resiliência e a força de vontade são fatores determinantes para o sucesso e, como indica o título, para a felicidade. Nem sempre será fácil, mas temos que acreditar e seguir tentando até alcançarmos nossos objetivos”.

SÉRIES

Silicon Valley – de Mike Judge, John Altschuler e Dave Krinsky

Sugestão de: Piero Contezini, CEO do Asaas, conta digital para empreendedores e uma das startups mais inovadoras da América Latina segundo a Innovation Awards Latam Ranking

“A série Silicon Valley, da HBO, dá uma boa lição de como é captar dinheiro com Venture Capital e como funciona essa relação. Eles usaram como base histórias reais, só que o produto dos caras é algo impossível de existir. Justamente o diferencial da série é eles ignorarem por completo esse paradoxo”.

Black Mirror – de Charlie Brooker

Sugestão de: Guilherme Verdasca, CEO da Transfeera, fintech open banking

“A série Black Mirror é muito interessante porque, de certa forma, é o espelho dark da sociedade moderna, e representa, muitas vezes, cenas distópicas mas que nos fazem imaginar possibilidades de problemas e de soluções futuras. São episódios independentes que nos fazem refletir sobre a nossa própria realidade. Apresenta sátiras e referências diretas às redes sociais e a sede por likes, o mundo da realidade virtual, ameaças de hackers, governo e as teorias sobre estarmos sendo observados, visão sobre o futuro, o que é a morte e, principalmente, à nossa utilização de ferramentas tecnológicas. Ela sempre traz o ‘e se’: como seria o mundo se fossemos avaliados por cinco estrelas e todo o nosso futuro dependesse disso? Vale a reflexão para quem trabalha ou quer trabalhar com tecnologia”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *